Relato de caso BMJ Case Reports .1

Sirjhun Patel, Lai-Ling Tan e Helen Murgatroyd publicaram no BMJ Case Reports, que uma paciente com 42 anos de idade, foi ao oftalmologista, na cidade de Dundee –Escócia, por que apresentava inchaço da pálpebra superior esquerda e ptose (queda palpebral). A ressonância magnética relatou um cisto e foi recomendado cirurgia para remoção do cisto. No entanto, os oftalmologistas encontraram uma lente de contato rígida gás-permeável (RGP) dentro do cisto. A lente RGP foi encapsulada dentro do tecido mole da pálpebra superior (fig. 1).

Clínica de Olhos Arruda Mello | Cristalino do Olho
Fonte da imagem: http://casereports.bmj.com

Mais tarde foi revelado que a paciente, aos 14 anos de idade, estava usando lentes de contato RGP quando foi atingida, no olho esquerdo, por uma peteca enquanto jogava badminton. A paciente acreditava que havia perdido a lente (provavelmente com o trauma caiu do olho). Entretanto, pode-se inferir que a lente migrou para a pálpebra e lá ficou por 28 anos, sem sintomas.

Isso aponta para um fato importante:- quem deseja usar lentes de contato deve ter muito cuidado com os olhos e com as lentes. Exames regulares são mandatórios.

Muitos familiares questionam sobre a idade que o adolescente pode iniciar o uso de lentes de contato. Para fins estéticos os oftalmologistas recomendam geralmente, após os 13 anos. Mas há casos em que crianças com menos idade começam a usar, por exemplo, em determinadas situações só as lentes de contato conseguem melhorar a visão da criança e possibilitar a correção dos dois olhos ao mesmo tempo e quando praticam vários esportes em que o uso dos óculos acaba sendo impossível.

Algumas informações sobre o jovem que deseja usar lentes devem ser transmitidas ao oftalmologista para auxilia-lo na decisão, como: se é responsável; organizado; se tem hábitos de higiene; se obedece a regras. Um exame oftalmológico minucioso, também é necessário antes de se prescrever às lentes. Importante ressaltar que há necessidade de um período de adaptação, onde aprenderá o manuseio das lentes (colocar e retirar), além de receber orientações sobre os cuidados com as lentes (limpeza e assepsia) e com os olhos (sinais de perigo*). Também aprenderá a identificar se a lente está no olho ou não e a procurar o oftalmologista em caso de dúvidas. O oftalmologista deve ser a fonte de orientação e controle das alterações oculares que possam vir a ocorrer com o uso das lentes.

Sinais de perigo,quando seus olhos pedem ajuda

Se você estiver usando lentes e tiver:

Dor, lacrimejamento, olho vermelho, aflição a luz, sensação de areia ou cisco, visão de halos coloridos ao redor das luzes, visão turva.

Ação: ao sentir dois ou mais sintoma retire as lentes e entre em contato com seu oftalmologista.

Referência:

1.Sirjhun Patel, Lai-Ling Tan, Helen Murgatroyd. Unexpected cause for eyelid swelling and ptosis: rigid gas permeable contact lens migration following a 28-year-old trauma; BMJ Case Reports 2018; doi:10.1136/bcr-2018-225767