Uma das maiores causas de consulta oftalmológica é a irritação e o cansaço após o trabalho em escritórios e outros ambientes com ar condicionado onde o uso prolongado de computador é muito freqüente. Essas condições favorecem a ruptura do filme lacrimal e a conseqüente exposição do epitélio corneano.

Abaixo estão listadas algumas atividades ou comportamentos relacionados ao aparecimento dos sintomas de olho seco no ambiente de trabalho:

  • Trabalho com monitor de vídeo ou outras atividades que requerem muita atenção e conseqüentemente levam a redução da freqüência de piscadas. Uma pessoa normal em repouso pisca, em média, entre 12 e 20 vezes por minuto. Durante o uso do computador, chega-se a piscar apenas 9 vezes por minuto.
  • O olhar para cima, que ocorre durante o trabalho no computador, aumenta a fenda palpebral e reduz a espessura do filme lacrimal, facilitando a sua ruptura. Por isso a orientação de não colocar o monitor do computador em uma altura elevada em relação ao nível dos olhos.
  • O olhar para cima, que ocorre durante o trabalho no computador, aumenta a fenda palpebral e reduz a espessura do filme lacrimal, facilitando a sua ruptura. Por isso a orientação de não colocar o monitor do computador em uma altura elevada em relação ao nível dos olhos.
  • Movimentação lenta e incompleta da pálpebra superior, comum após longo período de trabalho, que leva a uma distribuição irregular do filme lacrimal. Outras alterações palpebrais, como o piscar incompleto ou mesmo dormir com os olhos um pouco abertos.
  • Uso indiscriminado de lente de contato.
  • Os colírios e pomadas lubrificantes são a primeira opção de tratamento em todos os casos de olho seco. Os lubrificantes são divididos em gel ou líquido (gotas) de acordo com a sua viscosidade. Também podem conter ou não preservantes. Uso de anti inflamatórios pode ser associado em casos específicos, assim como oclusão do ponto de drenagem da lagrima.

Prof. Dr. Paulo Augusto de Arruda Mello
Professor Associado do Departamento de Oftalmologia da Universidade Federal de São Paulo
Presidente da Sociedade Latino Americana de Glaucoma