O exame “Tomografia de Coerência Óptica- OCT” é um exame diagnóstico por imagem. Possibilita a observação das diferentes camadas da estrutura da retina, do nervo óptico e da coróide (camada vascular abaixo da retina).

Apresenta resolução superior ao ultrassom clínico convencional e não exige contato ocular direto.

Por possibilitar avaliação detalhada da retina, nervo óptico e coroide, é utilizado principalmente para o diagnóstico e acompanhamento de doenças que causam alterações nessas regiões, como: Glaucoma, degeneração de mácula, buraco de mácula, edema macular, retinopatia diabética, membrana epirretiniana e distrofias da retina, etc.

Com o OCT, hoje podemos avaliar conjuntamente as camadas internas da retina na mácula agrupadas no complexo ganglionar, além da avaliação da camada de fibras nervosas e do nervo óptico, importantes tanto para o diagnóstico, como para avaliação de progressão do glaucoma.

Como é feito o exame?

. A permanência do paciente durante a realização do exame é breve e confortável, totalizando geralmente não mais que 5 minutos para um exame bilateral.

O aparelho não encosta no olho, apesar de chegar a apenas alguns centímetros.

O paciente deve ficar com o olho imóvel, pois pequenos movimentos oculares ou lacrimejamento podem levar a repetição do exame inúmeras vezes e até mesmo, tornar-se inconclusivo.

De quanto em quanto tempo devo fazer esse exame?

A periodicidade vai depender da doença ocular.

Quanto mais grave a doença maior será o periodicidade. Seu médico determinará a data do próximo exame.

Abaixo, exemplo de um resultado de exame de OCT:

Clínica de Olhos Arruda Mello | Exames
Fonte da imagem: http://www.sadalla.com.br/exames-oftalmologicos-joinville/

Bibliografia consultada

  • - Sociedade Brasileira de Glaucoma. https://www.sbglaucoma.com.br
  • - “Exames e Diagnósticos em Oftalmologia”
  • Editores: Dr.Michel Eid Farah; Dra Norma Allemann e Dr Rubens Belfort Jr.
  • Capítulo: Tomografia de Coerência Óptica- OCT; autores Dr. Rogério Alves Costa, Dra. Daniela Calucci e Dr.Michel Eid Farah
    Ed Cultura Médica, 2006