A História do Carnaval remonta à Antiguidade, tanto na Mesopotâmia quanto na Grécia e em Roma. A palavra carnaval é originária do latim, carnis levale, cujo significado é “retirar a carne”. O significado está relacionado com o jejum que deveria ser realizado durante a quaresma e também com o controle dos prazeres mundanos.
No Brasil uma das primeiras manifestações carnavalescas foi o entrudo, uma festa de origem portuguesa que na colônia era praticada pelos escravos. Depois surgiram os cordões e ranchos, as festas de salão, os corsos e as escolas de samba. Afoxés, frevos e maracatus também passaram a fazer parte da tradição cultural carnavalesca brasileira. Marchinhas, sambas e outros gêneros musicais também foram incorporados à maior manifestação cultural do Brasil1.
Nessa época de Carnaval, há maior chance de se contrair uma conjuntivite, de receber uma cotovelada nos olhos enquanto está seguindo um bloco na rua ou ter sintomas ruins com as lentes de contato na praia, etc..

Cuidados com os olhos durante o Carnaval

  1. Confete ou espuma dentro dos olhos: confete, espuma, sprays.... se caírem nos olhos, lave imediatamente, preferivelmente com soro fisiológico, ou na impossibilidade com água corrente (limpa) por 15 minutos. Depois instile soro fisiológico (aberto na hora) ou um colírio lubrificante. Se após isso, tiver uma sensação de corpo estranho (areia, cisco) nos olhos, entre em contato comigo ou procure um pronto socorro oftalmológico.
  2. Usando lentes de contato mais que o necessário: Nessa época, pode acontecer de você usar as lentes de contato por um período maior do que o recomendável. Se ao retirar as lentes, perceber que os olhos ficaram vermelhos, lacrimosos, com sensação de cisco e visão turva, use colírio lubrificante e observe os sintomas. Caso persistam, entre em contato comigo ou procure um pronto socorro oftalmológico.
  3. Recebeu uma cotovelada no olho: o traumatismo ocular pode ocorrer sem intenção durante as festas de Carnaval. Caso aconteça, verifique:
    • - a visão: está vendo turvo, embaçado?
    • - está vendo halos coloridos ao redor das luzes?
    • - apareceram manchas escuras na visão?
    • - percebeu flashes de luz (semelhante ao da máquina fotográfica) mesmo com os olhos fechados?
    • - o olho ficou vermelho, lacrimoso e com sensação de cisco?

    Caso tenha algum desses sintomas, entre em contato comigo ou procure um pronto socorro oftalmológico.
  4. Nessa época é fácil pegar conjuntivite. Cuidados:
    • - não coloque as mãos nos olhos e não os coce(mesmo se tiver coceira).
    • - lave as mãos sempre que possível com água e sabão (principalmente debaixo das unhas - utilize-se de uma escovinha) e, se houver condições após lavar, usar o álcool em gel. Principalmente após pegar em corrimão, carrinho de supermercado, etc...
    • - não use toalha de mão de pano, principalmente em banheiros coletivos.Prefira toalha de papel.
    • - se você alugou uma casa com outras pessoas, separe a sua toalha de mão.
    • - se você percebeu que o olho de uma pessoa está vermelho e lacrimejando: convém não cumprimenta-la com as mãos ou dar beijinhos no rosto.
    • - não use óculos escuros de outras pessoas
    • - não use colírios de outras pessoas, mesmo parentes próximos (filhos, cônjuges...). O colírio é de uso individual; cada um deve ter o seu, mesmo os colírios ditos “fraquinhos”, isto é, lágrimas artificiais.
  5. Na praia ou piscina: Use óculos escuros com proteção UVA e UVB. Estudos relacionam doenças oculares (especialmente catarata e degeneração macular) com a exposição prolongada à radiação UV sem proteção. Os óculos escuros com proteção são essenciais para bloquear os raios invisíveis do Sol (UV), evitando danos oculares.

Bom Carnaval!

Prof. Dr. Paulo Augusto de Arruda Mello
Professor Associado do Departamento de Oftalmologia da Universidade Federal de São Paulo
Presidente da Sociedade Latino Americana de Glaucoma